quais as caracteristicas do renascimento?

quais as caracteristicas

4 Answers

  • Humanismo, Racionalismo e Individualismo.

    Racionalismo= Pregava o uso da razão atravez da experiencia cientifica.

    Individualismo= Pregava a liberdade de expressão para o individuo.

    Humanismo= O Homem passa a ser o centro do universo.

  • Características do Renascimento

    “O Renascimento ocorreu em maior ou menor grau nas várias regiões da Europa. Começou na Itália, como vimos, e se expandiu para França, Alemanha, Inglaterra, Espanha, Portugal e Holanda. Apesar das diversidades regionais, observamos características comuns e fundamentais do Renascimento.

    • A retomada da cultura clássica: Denominamos cultura clássica o conjunto de obras literárias, filosóficas, históricas e de artes plásticas produzidas pelos gregos e pelos romanos na Idade Antiga. Os pensadores do Renascimento queriam, acima de tudo, conhecer, estudar, aprender, e os textos da cultura clássica foram vistos como portadores de reflexões e conhecimentos a serem redescobertos. O pensamento criado pelo Renascimento originou-se da reflexão sobre os textos da Antigüidade combinada com os valores culturais herdados da Idade Média.

    • “O homem é a medida de todas as coisas.”: Talvez a mais marcante de todas as características do Renascimento tenha sido a valorização do ser humano. O Humanismo ou Antropocentrismo, como é chamado com freqüência, colocou a pessoa humana no centro das reflexões. Não se tratava de opor o homem a Deus e medir suas forças. Deus continuou sendo soberano diante do ser humano. Tratava-se na verdade de valorizar as pessoas em si, encontrar nelas as qualidades e as virtudes negadas pelo pensamento católico medieval. Nesse sentido, o “homem tornou-se a medida de todas as coisas”, ou seja. aquilo que servia ao ser humano passou a ser visto como bom, o que não servia, como não bom. Essa idéia de que o homem é a medi­da de tudo foi criada pelos gregos e, como tudo o que é oriundo daquela cultura, aplicava-se à elite. Na Europa renascentista, a situação era a mesma. Parafraseando os gregos, podemos dizer que “o homem da elite é a medida de todas as coisas

    A valorização do ser humano resultou na criação de muitas telas e esculturas que valorizavam as formas humanas ou que retratavam corpos nus. Na foto, a escultura David, de Michelangelo, concluída em 1504.

    • O ideal de universalidade: Os renascentistas acreditavam que uma pessoa poderia vir a aprender e saber tudo o que se conhece. Seu ideal de ser humano era, portanto, aquele que conhecia todas as artes e todas as ciências. Leonardo da Vinci, que foi considerado o modelo de homem renascentista, dominava várias ciências e artes plásticas. Ele conhecia Astronomia, Mecânica, Anatomia, fazia os mais variados experimentos, projetou inúmeras máquinas e deixou um grande número de obras-primas pintadas e esculpidas. Da Vinci foi a pessoa que mais conseguiu se aproximar do ideal de universalidade. ”

    Os pensadores do Renascimento

    Erasmo de Roterdã (1466 ou 1467-1536). Nascido nos Países Baixos, é considerado um dos principais humanistas do Renascimento. Seu texto mais conhecido é Elogio da Loucura, no qual faz críticas contundentes aos poderes constituídos, inclusive à Igreja Católica.

    • Nicolau Maquiavel (1469-1527). O italiano Maquiavel ganhou notoriedade por ter escrito O Príncipe, que traça as diretrizes do poder no Estado moderno.

    • Thomas Morus (1480-1535). De origem inglesa, esse pensador escreveu uma notável crítica à sociedade de sua época no livro Utopia.

    O RENASCIMENTO CIENTÍFICO

    Um certo distanciamento adotado pelos renascentistas em relação às pregações católicas que condenavam a investigação científica favoreceu, a partir do século XVI, o desenvolvimento de vários ramos da ciência. A principal contribuição do Renascimento ao conhecimento científico foi o desenvolvimento da observação e da experimentação. boi a partir dessas práticas que os renascentistas avançaram no conhecimento.

    As duas principais figuras do Renascimento Científico foram Leonardo da Vinci e Nicolau Copérnico (1473 1543). Da Vinci inventou inúmeros mecanismos e instrumentos bélicos. Projetou máquinas novas e aperfeiçoou outras já conhecidas. Dedicou-se ao estudo da analmumiia humana, da Física, da Botânica, da Astronomia. Como já foi salientado, ele foi o modelo do renascentista, pois se dedicou a várias áreas de conhecimento.

    Copérnico contribuiu na ampliação do da Matemática, da Mecânica e da Astronomia. Formulou em 1543, a teoria heliocêntrica. quie afirma que afirma que a Terra gira em torno do Sol, contrariando a doutrina católica medieval que defendia a idéia de que a Terra é o centro do universo.

    Às ciências naturais progrediram graças à contribuição de muitos estudiosos, como Gesner e Rondelet, que investigaram a fauna; o geólogo Georg Bauer, que descobriu novas formas de aproveitamento dos minérios; na Medicina, André Vesálio e Miguel Servet aprofundaram os estudos de Leonardo da Vinci sobre anatomia humana e circulação sangüínea, enquanto Ambroise Paré criava a técnica de usar ataduras para estancar a hemorragia.

    Os artistas e suas obras:

    Sandro Botticcili (1444 – 1510) A arte do florentino Botticelli é inegavelmente muito bonita. Os principais temas de sua obre foram as cenas religiosas e as cenas mitológicas. Suas criações mais conhecidas são aquelas que retratam temas da Mitologia, como Nascimento de Vênus e Primavera. Uma de suas imagens sacras. Madona da Magnificat, é uma das mais suaves e belas representações da Virgem com o Menino.

    • Leonardo da Vinci (1452-IS 19). Sua inspiração artística foi notável. Assim como nas ciências, o italiano Leonardo foi versátil também nas artes. Era um bom es­cultor, desenhista e pintor genial. Foi o artista que introduziu na pintura o contraste claro/escuro, isto é, o jogo entre as partes claras e as sombras. Suas obras mais conhecidas são as telas A Ultima Ceia, Mona Lisa (ou La Gioconda) e a Virgem dos Rochedos.

    • Michelangelo Buonarroti (1475- 1564). Também conhecido como Miguel Ângelo. O artista viveu a maior parte de sua vida em Roma e recebeu de seus contemporâneos o título de divino. O que conhecemos de seus trabalhos permite perceber que o título é merecido. Suas esculturas traduzem movimento e sentimento, como se o artista, ao moldar a pedra, lhe desse alma. Como pintor, Michelangelo também foi brilhante. Suas obras mais conhecidas são as esculturas Pietá, Moisés e David e as muitas pinturas que compõem o teto da Capela Sistina. .

    • Rafael (1483-1520). Raffaello Sanzio, ou simplesmente Rafael como ficou conhecido, era pintor e arquíteto. Dedicou-se a pintar imagens sacras, as quais A Virgem com o Menino é uma das mais bonitas, e também figuras femininas. Sua obra mais grandiosa e que expressa seu envolvimento com o pensamento renascentista é a Escola de Atenas. Rafael também era italiano.

    Literatura

    • Dante Alighieri (1265-1321). O italiano Dante é considerado pré-renascentista. Sua obra mais importante, A Divina Comédia, é considerada o ponto mais alto atingi­do pela poesia italiana.

    • Giovanni Boccaccio (1313-1375). O florentino Boccaccio era escritor e poeta, e seu texto mais conhecido é O Decameron.

    • François Rabelais (1494-1553). O renascentista francês tornou-se conhecido por dois textos, Gargantua e Pantagruel, onde satiriza o comportamento do clero e os dogmas católicos.

    • Luís de Camões (1524-1580). A obra mais conhecida do poeta português é Os Lusíadas, um poema épico que narra o heroísmo português na gIaI1de aventura que foi a Expansão Marítima.

    • Miguel de Cervantes (1547 1616). () espanhol Cervantes escreveu Dom Quixote. unia verdadeira obra-prima literária e histórica que narra de forma sensível a impossibilidade de manter os valores medievais no mundo burguês em formação, assim como aponta o equívoco histórico da nobreza espanhola que. ao modelo de Quixote. tem a mente povoada de fantasias medievais e não desperta para a realidade dos novos tempos.

    • William Shakespeare (1564-1616). O mais importante dramaturgo inglês. Seus textos mais conhecidos são Romeu e Julieta, Hamlet, A Megera Domada, Henrique V, Otelo, Rei Lear e Macheth.

  • H’m. O renascimento é caracterizado pela ruptura do pensamento teocrático e o surgimento do humanismo, colocando o homem como o centro de todas as coisas. Foi neste período que os maiores cientistas conseguiram comprar suas teorias como Kepler, porém outros tiveram que negar suas descobertas porque mesmo sendo um período de intensa intelectualização, a Igreja ainda perseguia as pessoas que contradiziam seus dogmas. Porque até então ela era responsável pela transmissão cultural do povo, escolhia o conhecimento que ela achava que as pessoas deveriam ter.

    Há mudanças nas artes, voltam as característas clássicas, técnicas de esfumaçar (aquela que Da Vinci usou nos seus quadros), diferença de luz e escuro, perspectiva. Na arquitetura as estátuas recebem mais “movimento”. Mesmo com toda a conspiração da Igreja, ela ainda foi responsável pelas maravilhas que ainda podemos observar, porque encomendavam as artes desses artistas, como o teto da Capela Sistina pintada por Michelangelo; as estátuas em mármore que Michelangelo faziam mostram todos os músculos como se estivessem vivos…

    Foi um período influenciado pelos pensamentos iluministas; deu uma revolução em todas as frentes da cultura: artes, literatura, escultura, arquitetura, ciências, matemática, astrologia, etc.

    Espero ter ajudado!

    Beijinhos.

  • O Renascimento ocorreu em maior ou menor grau nas várias regiões da Europa. Começou na Itália e se expandiu para França, Alemanha, Inglaterra, Espanha, Portugal e Holanda. Apesar das diversidades regionais, há características comuns:

    • A retomada da cultura clássica: o conjunto de obras literárias, filosóficas, históricas e de artes plásticas produzidas pelos antigos gregos e romanos. Os pensadores do Renascimento queriam, acima de tudo, conhecer, estudar, aprender, e os textos da cultura clássica foram vistos como portadores de reflexões e conhecimentos a serem redescobertos. O pensamento criado pelo Renascimento originou-se da reflexão sobre os textos da Antigüidade combinada com os valores culturais herdados da Idade Média.

    • “O homem é a medida de todas as coisas.”: Talvez a mais marcante de todas as características do Renascimento tenha sido a valorização do ser humano (Humanismo ou Antropocentrismo) , colocando a pessoa humana no centro das reflexões. Não se tratava de opor o homem a Deus e medir suas forças. Deus continuou sendo soberano diante do ser humano. Tratava-se na verdade de valorizar as pessoas em si, encontrar nelas as qualidades e as virtudes negadas pelo pensamento católico medieval. Nesse sentido, o “homem tornou-se a medida de todas as coisas”, ou seja. aquilo que servia ao ser humano passou a ser visto como bom, o que não servia, como ruim. Essa idéia de que o homem é a medi­da de tudo foi criada pelos gregos e, como tudo o que é oriundo daquela cultura, aplicava-se à elite. Na Europa renascentista, a situação era a mesma. Parafraseando os gregos, podemos dizer que “o homem da elite é a medida de todas as coisas

    -A valorização do ser humano resultou na criação de muitas telas e esculturas que valorizavam as formas humanas ou que retratavam corpos nus, o que era um escândalo para a época, mas acabou prevalecendo, inclusive no famoso afresco sobre a criação, de Michelangelo.

    • O ideal de universalidade: Os renascentistas acreditavam que uma pessoa poderia a aprender e saber tudo o que se conhece. Seu ideal de ser humano era aquele que conhecia todas as artes e todas as ciências. Leonardo da Vinci, que foi considerado o modelo de homem renascentista, dominava várias ciências e artes plásticas. Ele conhecia Astronomia, Mecânica, Anatomia, fez variados experimentos, projetou inúmeras máquinas e deixou um grande número de obras-primas pintadas e esculpidas. Da Vinci foi a pessoa que mais conseguiu se aproximar do ideal de universalidade. “

Deixe um comentário